CHAVES | O famoso pastel em forma de meia-lua

Chaves, 1862, dia incerto. Seria, de certeza, um dia como todos os outros, não fosse uma anónima vendedeira ter saído para a rua a tentar comercializar um pastel estranho e de forma esquisita (dizem uns em forma de ferradura, acrescentam outros que mais parecia uma meia-lua). Nunca tal se vira, mas uma coisa era certa: o pastel era delicioso!

 

O Pastel de Chaves é um dos símbolos da cidade e mesmo de Trás-os-Montes. É um produto IGP, ou seja, de Indicação Geográfica Protegida, o que significa que deve obedecer a determinadas condições para ser validado como produto oficial. Não que não seja possível plagiar o delicioso pastel, mas a verdade é que tal se torna quase impossível, pelo mesmo com o mesmo sabor e qualidade do que é feito em Chaves.

A receita foi mantida em segredo durante muitos anos e só a partir de 1940, sensivelmente, é que passou a ter mais do que um produtor, a famosa Casa do Antigo Pasteleiro (onde, na atualidade, continua a existir o antigo forno!), de Teresa Feliz Barreira, que adquiriu a receita à tal vendedeira anónima, no ano de 1862 por uma libra.