VILA DO CONDE | Nau Quinhentista no século XX

A alfândega régia de Vila do Conde é marcada por uma réplica da nau quinhentista, projetada pelo Contra-Almirante Rogério d’Oliveira e construída nos estaleiros Samuel e Filhos, tendo sido inaugurada e aberta aos visitantes em 2007. De mãos dadas com esta iniciativa, nasceram, também, o Museu de Construção Naval e a Casa do Barco, de forma a apoiar e elaborar o contexto desta embarcação e de toda a história que contém.

 

Esta réplica representa uma nau do início do século XVI, que era usada para percorrer a carreira da Índia, com o objetivo de trazer o chamado “ouro negro” e especiarias e tinha capacidade para cerca de 150 tripulantes. A construção naval ganha maior importância durante o período da expansão marítima, nos séculos XV e XVI. As embarcações navais construídas nos estaleiros de Vila do Conde eram feitas em madeira. Ana Serrão, técnica do Museu, explica que a embarcação levou mais ou menos cerca de 300 toneladas de madeira e que “podemos dizer, com alguma segurança, que os estaleiros de construção naval vila-condenses eram especialistas em construção naval em madeira”.